O Reino das Vozes que Não se Calam

reino
“O Reino das Vozes Que Não se Calam” tem tudo para se tornar um grande título em meio aos nosso nacionais. O livro trás uma história encantadora, emocionante e que te faz aprender um pouco mais sobre o significado da vida, levando o leitor a um êxtase literário desde suas primeiras páginas.
Christina

Título: O Reino das Vozes que Não se Calam
Autor: Carolina Munhóz e Sophia Abrahão
Ano: 2014
Páginas: 288
Editora: Rocco
ComprarSaraiva | Submarino | Americanas | Fnac Brasil

A parceria da escritora Carolina Munhóz com Sophia Abrahão acabou rendendo uma história fantástica. As autoras do livro trazem um reino inovador, se afastando meritosamente do que pode ser considerado clichê. A história narra a vida de uma garota chamada Sophie, que sofreu bullying durante o seu período escolar por ser uma garota magra e por se vestir de uma forma diferente do taxado normal. É no inicio do livro que conhemos a vida de Sophie, os momentos e fases dolorosas que ela anda vivendo, incluindo o momento ruim em que ela se encontra, mas que também é momento onde toda a história toma um rumo e se transforma em algo fantástico.
Ninguém pode fazer outra pessoa feliz. Nós precisamos encontrar a nossa própria felicidade. Eu nunca achei que fosse digna de ser feliz. Esse sempre foi o grande problema.
Quando as coisas se tornam um caos, quem nunca pensou em sumir do mundo? A partir daí, o livro ganha sua pitada de fantasia e Sophie é ”sugada” para o ”Reino das Vozes Que Não se Calam”. Lá, a garota descobre que é a princesa de um reino e que, ao contrário do mundo real, é amada por todos os humanos e seres mágicos. Mas existe um porém, algo fantástico e que faz a história não ter aqueles pontos chatos ou parados: Sophie só consegue visitar o seu reino quando está dormindo.
Imaginem então o quanto é chato descobrir que você finalmente pode fugir do mundo real mas no fim de tudo acabar voltando para o mundo que você tanto odeia. São nestes ”sonhos” que Sophie tem contato com uma bruxa chamada Mama Lala, que lhe diz que existe um modo de ficar para sempre naquele reino, desvendando três cartas: Os Amantes, O Louco e A Morte. E é assim que Sophie ganha um motivo de continuar no mundo real, para concluir essa missão e finalmente dar um fim naquela vida. A única parte do livro um pouco fraca ou rápida demais é o momento em que Sophie tenta desvendar Os Amantes, mas isso não atrapalha no desenvolvimento da história ou tira o mérito da mesma.
Havia um longo caminho a percorrer, porém Sophie tinha a força necessária para lutar pelos seus objetivos.”
O livro é cheio de personagens interessantes, alguns deles da terra e outros do reino mágico. Anna era a melhor amiga de Sophie, uma garota popular da escola que sempre incluia Sophie em seu grupinho, mesmo ouvindo críticas por isso, mas as duas acabam tendo um problema que faz a história ter um up. Também conhecemos Léo, um dos meus personagens favoritos que prefiro não falar tanto sobre para que vocês se apaixonem automaticamente assim como eu, mas desde já, estou torcendo para que ele fique junto com Sophie. No reino, encontramos seres mágicos como fadas, gatos que falam e andam como humanos, fênix e outros. Mas os personagens mais importantes de lá é a avó de Sophie. Sim, naquele reino ela tem um único parentesco que é uma avó.  Também conhecemos Sycreth, o ministo e os Tirus, que é como é chamada a população de lá.
As últimas páginas do livro são muito emocionantes e significativas, tanto para o leitor quanto para a personagem principal. É adorável a forma que as autoras seguiram para uma conclusão incrível, transformando e finalmente mostrando que “O Reino das Vozes que Não se Calam” é uma história que te faz sentir do começo ao fim.
O “Reino das Vozes que Não se Calam” é uma leitura encantadora e que mostra o tamanho talento que as autoras tiveram, conseguindo criar um universo que vai apaixonar pessoas de todas as idades, deixando vários ensinamentos e mostrando que cada pessoa pode ter um reino dentro de si. Vale a pena ler o livro e sonhar com esse fantástico reino!
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário